Pudim da Madeira

E, mais uma semana que chega ao fim. Estamos praticamente no fim de janeiro e o frio não chega e, faz tanta falta. As doenças extintas de séculos passados começam a voltar e uma das principais causas é, sem dúvida o clima. Mas, o Homem influencia tanto a terra como o seu corpo, com o que come e com o que faz. Pensemos nisto ?!?
Mas, de vez em quando é preciso um pouquito de açúcar, para animar os fins de semana.
Não deixando de refletir sobre o modo de vida, desejo-vos um bom fim de semana e docinho...



Bifes de atum à madeirense


Gosto muito de atum e, este prato foi um sucesso cá em casa. Uma refeição leve e muito saborosa. O atum não fica seco e o sabor dos coentros com o vinagre fica mesmo bem.
Espero que gostem e que este prato também faça sucesso na vossa casa.

Bacalhau à brás à antiga

Quando entrava em casa e via aquele tacho ao lume. até os olhos de "lambiam"!!!
Aquele tacho significavauma refeição deliciosa e bem gulosa. Ah... como eu recordo aqueles sabores de infância.


Butelo com casulas, a descoberta

Por uns momentos fui transmontana!!!


É por estes dias, que se festeja a 4.ª edição do Festival Gastronómico do Butelo e das Casulas de Bragança. A convite da Câmara Municipal de Bragança, tive o prazer de degustar esta (e outras) iguarias transmontanas, durante a promoção do evento em Lisboa, no restaurante O Nobre, tendo como anfitriã a Chef Justa Nobre.
O prato rei foi o famoso butelo (enchido ou chouriço de ossos, oriundo da cidade de Vinhais) com as casulas ou palhaças (cascas de feijão secas) e, a sua promoção deu a oportunidade de provar que desconhecia tal maravilha gastronómica (que era o meu caso).

Queques de chocolate e manteiga de amêndoa


Este mês terminei as minhas sessões de fisioterapia, e quero agradecer ao Luís e à Mariana, pelo excelente trabalho e pela paciência que tiveram comigo. 
Decidi levar este miminho para lhes agradecer e espero que tenham gostado.

Pudim de ovos dos Frades do Convento de Alcobaça

Se bem me conhecem, sabem que eu não dispenso um bom doce conventual mas, como a minha família não gosta muito (dizem que são muito enjoativos) não me deixaram fazer no Natal. Mas eu fiquei a pensar no pudim e não desisti de o fazer... chegou o Ano Novo e desta não escapou.
Sei que quem o comeu, adorou e eu fiquei deliciada com a "prova" e com o fazto de deixar os outros felizes.

Adaptado de
Cozinha Tradicional Portuguesa, Maria de Lourdes Modesto